Riga: uma capital ocidental no Leste – Distrito Art Nouveau

Tudo bem que a Cidade Velha de Riga é linda, classificada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, mas o que faz da capital letã uma cidade única no mundo é o seu Distrito Art Nouveau (Jungenstil, infelizmente o blog não permite as marcas gráficas do idioma letão, então a grafia não está totalmente correta).

Situado a mais ou menos 2 km do nosso hotel, resolvemos pegar uma espécie de “taxi” para explorar o bairro. Acho importante esclarecer que uma caminhada de qualquer ponto da Cidade Velha até o Quartier Art Nouveau é perfeitamente factível e só não o fizemos por questões de ordem estritamente pessoal. O deslocamento com transporte público, neste caso, não é uma proposta inteligente, visto que, na Cidade Velha, é proibida a circulação de carros de passeio e de transporte coletivo (aos taxis é permitida a entrada, mas são raros, por isso acenar para um pode requerer um longo tempo de espera, que não compensa, devido às curtas distâncias). Então, para se dirigir ao Bairro Art Nouveau, o turista teria que caminhar para fora da Cidade Velha, até um ponto de ônibus que fica numa das pontas do distrito, então, laisse tomber.

Em relação ao taxi, nós o solicitamos diretamente na recepção do hotel. Na verdade, veio um chauffeur em um Mercedes Benz, que nos cobrou o preço fixo de 10€ pelo trajeto. Pagável, mas caro! Se você se sentir apto, dê preferência à agradável caminhada, eu teria feito, se pudesse.

Quartier Art Nouveau fica situado na confluência das ruas Elizabetes iela, Strelnieku iela e Alberta iela (iela significa rua em letão), onde se encontra preservado o maior conjunto arquitetônico art nouveau do mundo. Obviamente que a cidade inteira está enfeitada por diversos prédios no estilo, mas a concentração maior fica nesta parte da capital. Reserve o período de uma longa manhã para poder passear com calma e tirar um milhão de fotos de cada detalhe dos edifícios.

Não sou expert em arquitetura – confesso, inclusive que tenho alguma dificuldade em definir o estilo art nouveau, pois tenho tendência a confundí-lo com o art déco (se alguém puder esclarecer, por favor, deixe um comentário!) -, mas uma das coisas que sei, é que o art nouveau reza pela não simetria das formas, porém sem prejudicar a harmonia da decoração. Na prática, significa que, por exemplo, os capitéis que coroam as colunas de uma varanda são absolutamente diferentes entre si, mas sem destoar do conjunto. Por conta dessa característica, as fachadas e interiores dos prédios podem ter ornamentações absolutamente distintas e se você for um aficionado por fotografia, gastará um cartão de memória em cada prédio…

Vejam algumas fotografias:

imagem da Strelnieku iela, distrito Art Nouveau, Riga

imagem da Strelnieku iela, distrito Art Nouveau, Riga

Edifício art nouveau, de 1905, situado à Strelnieku iela 4a

Edifício art nouveau, de 1905, situado à Strelnieku iela 4a

Detalhes em estilo art nouveau de edifício em Riga

Detalhes em estilo art nouveau de edifício em Riga

 

À direita, edifício siuado na Alberta iela 13, ao fundo, prédio de número 12 da mesma rua, onde está localizado o museu Riga Art Nouveau Centre

À direita, edifício situado na Alberta iela 13 (de 1903), ao fundo, prédio de número 12 da mesma rua (de 1904), onde está localizado o museu Riga Art Nouveau Centre

Detalhe da fachada do edifício art nouveau situado à Alberta iela 13

Detalhe da fachada do edifício art nouveau, de 1904, situado à Alberta iela 13

Detalhes da fachada do edifício situado à Alberta iela 13

Detalhes da fachada do edifício situado à Alberta iela 13

Fachada do edifício em estilo art nouveau , de 1903, sis Alberta iela 8

Fachada do edifício em estilo art nouveau , de 1903, sis Alberta iela 8

Exemplo de edifício art nouveau, de 1904, situado na Alerta iela 4

Exemplo de edifício art nouveau, de 1904, situado na Alerta iela 4

calçada do lado direito da Elizabetes iela, Distrito Art Nouveau, Riga

calçada do lado direito da Elizabetes iela, Distrito Art Nouveau, Riga

Elizabetes iela 10b

Elizabetes iela 10b

Detalhe da fachada do prédio art nouveau situado na Elizabetes iela 10b

Detalhe da fachada do prédio art nouveau situado na Elizabetes iela 10b

Exemplos da arquitetura art nouveau são encontrados nas mais diversas cidades do mundo. Por exemplo, em Paris, a saída das estações de metrô mais antigas, o edifício em que funciona o Hôtel Lutetia, no Boulevard Raspail… No Rio, que eu me lembre, a decoração da Confeitaria Colombo, na Rua Gonçalves Dias, no Centro, e o Restaurante Assirius, no Theatro Municipal, também são representantes do gênero. Em São Paulo, você encontra alguns exemplos no bairro de Higienópolis.

Juro que eu queria muito morar aqui nessa bairro! Achei realmente a minha cara! Como faço para me tornar riguês?

Antes que me chamem de oligofrênico e de psicopata, obviamente que, tirando o nome das ruas, eu não me lembrava dos endereços completos dos prédios e muito menos de sua data de edificação. Acontece que, no Riga Art Nouveau Centre, eu comprei dois folhetos sobre o estilo art nouveau, com fotos e descrições dos prédios edificados no estilo, situados tanto no Quartier Art Nouveau, quanto na Cidade Velha, em Riga. Cerca de 90% do que eu escrevo, eu guardei de memória, mas não vamos exagerar…

Guias adquiridos no Riga Art Nouveau Centre

Guias adquiridos no Riga Art Nouveau Centre

Na minha opinião, uma atração imperdível no Quartier Art Nouveau é visitar o citado museu Riga Art Nouveau Centre. Trata-se da reconstituição de um apartamento familiar dos tempos da Belle Époque. Realizou-se um estudo detalhado e primoroso sobre a vida e os hábitos de uma família de classe média alta / classe alta do início do século XX. Nesse museu, você tem a oportunidade de não apenas ver os belíssimos móveis confeccionados no estilo art nouveau, como também os eletrodomésticos que começaram a ser introduzidos na vida quotidiana. O museu fica no térreo do nº 12 da Alberta iela, mas com entrada pela portaria do prédio que dá para a Strelnieku iela.

Chegar no museu pode ser meio complicado, devido à falta de sinalização. Quando você adentra na portaria, você dá de cara com uma porta de madeira de lei, no lobby de uma escadaria linda, sem indicação de que ali funciona alguma coisa.

Escada em caracol na entrada do Riga Art Nouveau Centre (vista de baixo para cima)

Escada em caracol na entrada do Riga Art Nouveau Centre (vista de baixo para cima)

Escada em caracol na entrada do Riga Art Nouveau Centre (vista de cima para baixo)

Escada em caracol na entrada do Riga Art Nouveau Centre (vista de cima para baixo)

 

Teto da escadaria em caracol no prédio onde está localizado o Riga Art Nouveau Centre

Teto da escadaria em caracol no prédio onde está localizado o Riga Art Nouveau Centre

 

Nessa escada em caracol, há uma seta indicando a existência de um museu no 5º andar do prédio (não tem elevador), então, nos arrastamos vagarosamente e com bastante dificuldade para o topo do edifício. Lá no alto, encontramos uma porta parecida, dessa vez entreaberta indicando algo que parecia ser uma galeria. Apesar de insistência em contrário, eu teimei em visitá-la. Tenho que confessar que estava errado, pois o local não tinha realmente nada de muito interessante: um apartamento dúplex praticamente vazio, um móvel antigo aqui e outro acolá não muito bem cuidados, várias amostras de papéis de parede da época… No segundo pavimento havia uma exposição de quadros, num aposento que parecia ter funcionado como atelier de pintura (por sinal, esse cômodo era bem legal, pois tinha uma clarabóia linda, com uma luminosidade incrível). Saindo de lá, descobri que se trata do Janis Rozentals and Rudolfs Blaumanis’ Museum. Pelo que pude compreender, o Janis Rozentals foi um dos principais pintores da Letônia, para mim um ilustre desconhecido, desculpem a ignorância. Na boa, não vale à pena subir a imensa escadaria… Poupem as suas pernas.

O Riga Art Nouveau Centre, como não poderia deixar de ser, fica no térreo. Quando você abre a austera porta, você dá de cara com a bilheteria do museu, em que mulheres lindas, vestidas a caráter, como na foto abaixo (tentei copiar fotos do site do museu, mas não consegui), vendem os bilhetes e fornecem informações aos visitantes. Fala-se inglês, russo, sueco e letão. As salas do museu possuem panfletos com informações na língua de Shakespeare e de Molière, então, dá para aproveitar bastante! Se você quiser, na recepção, tem uma infinidade de chapéus antigos que você pode experimentar e tirar fotos. Cada chapéu lindo!

Nesse museu, eu vi um casal de russos que, às 10h horas da manhã, fedia a um bafo pavoroso de vodka! Eles pareciam meio alegrinhos e aparentavam não lavar a própria roupa há semanas, quiçá, meses! A catinga de vodka empesteou feio o ambiente fechado do museu e eu fiquei me perguntando como alguém consegue beber um destilado forte antes das 10h da manhã? Sendo certo que os russos bebem a vodka em um gole só… Bizarro!

Não sei se deu para vocês perceberem, mas esta parte de Riga é bastante gentrificada, verdadeiramente, um lugar que os britânicos classificariam como posh. Na minha opinião, acredito que seja uma excelente localização para se ficar hospedado. É bem menos abarrotado de turistas e tem uma variedade grande de cafés, restaurantes e lojas requintadas a poucos passos dali. Também não fica longe da Cidade Velha. Voltando a Riga, gostaria de me hospedar por ali.

Anúncios

Sobre andrerj75

Eu me chamo André. Sou morador do Rio de Janeiro. Desde pequeno, fui acostumado a viajar com os meus pais para países diferentes e a apreciar as mais diversas expressões artísticas e culturais, o que mantive de bom grado já adulto. Também, desde pequeno, ganhei um fascínio pelo estudo de História, que se acirrou à medida que os anos foram passando. Nesse contexto, sou frequentemente abordado por amigos e por conhecidos - às vezes até por pessoas estranhas - pedindo dicas de viagens e solicitando que eu tente organizar pequenos roteiros para ajudá-los em suas férias. Resolvi unir o útil ao agradável e dei início a este blog. Escreverei sobre as minhas viagens na tentativa de passar as minhas impressões sobre os lugares que conheci. Na medida do possível, darei dicas de hotéis, de restaurantes e de lugares para passear. Não tenho qualquer compromisso com a cronologia, escreverei sobre o que der vontade. Agradeço a participação de todos!
Esse post foi publicado em Letônia, Riga e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para Riga: uma capital ocidental no Leste – Distrito Art Nouveau

  1. Kenia disse:

    hahaha lembro que quando fui a um casamento aqui na Polonia as pessoas ficaram chocadas porque eu não queria beber nem vinho no café da manhã. Como se eu tivesse recusando algo tão leve quanto um suco de uva!!! Acho que nunca entenderei (e nem quero) como isso é possível hahaha
    Bjs

    Curtir

    • andrerj75 disse:

      Bebida alcóolica de manhã é sintomático de quem tem problemas. Eu sou pouquíssimo chegado a álcool, bebo de vez em quando, mas não acho muita graça. Se já me sinto um ET por aqui, imagina no Leste Europeu.

      Curtir

Você gostou? Quer acrescentar alguma informação? Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s