São Petersburgo – Suas famosas “Catedrais” – Parte II

Confesso que não sou a pessoa mais versada sobre Cristianismo ou sobre qualquer assunto religioso, mas, ontem, ao assistir ao filme grego “Meteora”, do diretor Spiros Stathoupoulos – que se passa na belíssima região da Grécia de mesmo nome, com seus mosteiros antiquíssimos, no topo de formações rochosas, que possibilitam seu acesso apenas por corda ou por longuíssimas escadas, lugar lindo que conheci na infância – fiquei intrigado porque a personagem da monja era russa, mas se encontrava enclausurada num mosteiro grego. Sei que ambos os países seguem o Cristianismo Ortodoxo, mas achava que possuíam religiões distintas da mesma vertente. Pelo jeito não são.

Aparentemente, a chamada Igreja Ortodoxa do Leste (termo utilizado para diferenciá-la da Igreja Ortodoxa Oriental, cujos seguidores estão na Síria, no Líbano, em outras partes do Oriente Médio, na Etiópia, na Armênia), a principal religião de países como a Grécia, a Rússia, a Romênia, a Bulgária, a Sérvia…, possui liturgia mais ou menos uniforme, variando, apenas o idioma em qual é processado o sacerdócio (daí dizer Igreja Ortodoxa Russa, Grega etc.). Outra característica é a não existência de supremacia entre os bispos ao professar a palavra divina, ou seja, não há uma hierarquia entre eles, tal qual existe no Cristianismo Católico, em que a palavra papal é inconteste. Apenas para questões de cunho administrativo existe a autoridade do Patriarca, que tem sua esfera de influência regionalizada, em área que pode corresponder, ou não, a um país; por exemplo, o Patriarca da Rússia fica em Moscou (apesar da sede do Patriarcado, em tese, ser em Sergiev Possad), já o que exerce o comando administrativo na Grécia, em Chipre e, creio eu, sobre regiões da Turquia, fica sediado em Istambul (antiga Constantinopla, que foi capital do Império Romano, já sob os auspícios do Cristianismo, convém lembrar).

Nesse aspecto, pode-se traçar um paralelo entre o Catolicismo e o Islamismo Xiita (ambas as religiões possuem uma autoridade única em termos de fé, o Papa e o Aiatolá, respectivamente) e o Cristianismo Ortodoxo com o Islamismo Sunita, em que esta supremacia não existe. As religiões são tão parecidas, não entendo o motivo para se digladiarem!

Ainda, antes de entrar no post propriamente dito, eu esqueci de dizer que o passeio pelas catedrais foi feito junto com a guia Anna Rudaya (clicando no nome dela, dá acesso diretamente ao site de guias de uma agência que ela mantém com uma amiga). Eu a descobri, por acaso, pesquisando na internet a respeito de guias que falam francês na cidade. Ressalto que a Anna é fluente em francês e em inglês, tendo estudado na França e nos Estados Unidos, atualmente, ela está aprendendo a falar italiano. Além de conhecer muito bem a cidade, o nível cultural dela é surpreendente!

A guia que nos foi recomendada pela agência brasileira Tchayka, que nos usamos para os passeios fora de São Petersburgo e que também nos acompanhou à estação de trem, foi igualmente fenomenal (falarei dela em outro post). Oportunamente, também esclarecerei o  motivo de nossa preferência por guias francófilos.

Igreja da Ressurreição de Cristo (Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado)

De arquitetura inspirada na Catedral de São Basílio, em Moscou, a Igreja de São Salvador sobre o Sangue Derramado é considerada, pela maioria das pessoas, como a principal atração de São Petersburgo. E ela é verdadeiramente DESLUMBRANTE!

Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado - fachada Sul - Canal Griboyedova, São Petersburgo

Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado – fachada Sul – Canal Griboyedova, São Petersburgo

Igreja do São Salvador Sobre o Sangue Derramado - Fachada Sul - São Petersburgo

Igreja do São Salvador Sobre o Sangue Derramado – Fachada Sul – São Petersburgo

Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado - Fachada Sul (detalhe) - São Petersburgo

Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado – Fachada Sul (detalhe) – São Petersburgo

Igreja do São Salvador Sobre o Sangue Derramado - Fachada Norte - São Petersburgo

Igreja do São Salvador Sobre o Sangue Derramado – Fachada Norte – São Petersburgo

A igreja é tão escandalosamente bonita, que tiramos várias fotografias… todas iguais! Com o nefasto advento da máquina fotográfica digital e de celulares com câmera, as pessoas ficam num frenesi de cliques e flashes verdadeiramente insuportável e acabam não apreciando o lugar. A probabilidade de elas reverem essas fotos é muito pequena, mas a enxurrada de cliques é incessante. Óbvio que fazemos o nosso mea culpa e admitimos que também tiramos fotografias excessivas, mas ainda assim, muito menos do que a média dos turistas. Fica a dica: aproveitem o lugar com os olhos e não atrás de uma lente e do diafragma de uma maquineta…

Fiquei na dúvida se escrevia ou não um pouco da história do local, isto porque em todo e qualquer blog e em todos os guias que você ler vai estar dita a mesma coisa: o seu local de construção foi onde o czar Alexandre II sofreu um atentado, em 1881. Também constará em tudo quanto é lugar que, após a ascensão dos bolcheviques ao poder, cogitou-se na sua demolição e, igualmente, que ela serviu de necrotério durante o cerco de Leningrado, de aproximadamente quatro anos, na Segunda Guerra Mundial, sendo posteriormente utilizada como depósito de legumes e depois fechada, tendo permanecido em reforma por mais de 20 anos…

O que é pouco informado é que o czar Alexandre II, chamado de o “bom czar”, foi o responsável pela extinção do regime de servidão feudal que existia na Rússia até a segunda metade do século XIX, por isso, ele sofreu um atentado terrorista que culminou com a sua morte. Ou seja, os trabalhadores das terras eram presos a ela, não havendo grandes liberdades de ir e vir, além de uma série de outras restrições a que estavam submetidos, que já haviam sido abolidas há muito tempo nos países da Europa Ocidental. O documento original que decretou a extinção da servidão no Império Russo está exposto no Museu de História Russo, em Moscou. Apenas a título de curiosidade, os castigos físicos a empregados domésticos e servidores rurais eram usuais na Rússia até a Revolução de Outubro, uma humilhação sem fim. A vida dos mujiques devia ser um horror, mas não tão diferente do que ocorre hoje em dia em várias partes do mundo, inclusive no Brasil, com os boias-frias e com os bolivianos e haitianos empregados na indústria de confecção.

Ao invés de decorada com afrescos, o interior da igreja é inteirinho recoberto com mosaicos retratando a vida dos santos e passagens bíblicas, em tons de azul. A sua inspiração na arquitetura antiga russa é bastante evidente, tanto que seu estilo é nomeado Revival Russo. Apreciem as fotografias.

Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado - São Petersburgo

Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado – São Petersburgo

Detalhe do mármore do chão - Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado - São Petersburgo

Detalhe do mármore do chão – Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado – São Petersburgo

Altar principal - Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado - São Petersburgo

Altar principal – Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado – São Petersburgo

Altar principal (detalhe) - Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado - São Petersburgo

Altar principal (detalhe) – Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado – São Petersburgo

Uma das portas do altar - Igreja de São Salvador sobre o Sangue Derramado - São Petersburgo

Uma das portas do altar – Igreja de São Salvador sobre o Sangue Derramado – São Petersburgo

Mosaico de uma das cúpulas - Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado - São Petersburgo

Mosaico da cúpula do altar principal – Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado – São Petersburgo

Cúpula principal - Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado - São Petersburgo

Cúpula principal – Igreja do São Salvador sobre o Sangue Derramado – São Petersburgo

Igreja de São Salvador sobre o Sangue Derramado - São Petersburgo

Igreja de São Salvador sobre o Sangue Derramado – São Petersburgo

O lugar em que o czar sofreu o atentado também foi marcado. Nas missas ortodoxas, os fiéis permanecem de pé à exceção dos czares, que podem se sentar numa espécie de púlpito. Assim, no local do ataque, foi construído um nicho igual ao que se encontra em outras igrejas para o assento do imperador, dando a ideia de que o lugar do Alexandre II estaria preservado para sempre.

Local em que o czar Alexandre II sofreu o ato terrorista - Igreja de São Salvador sobre o Sangue Derramado - São Petersburgo

Local em que o czar Alexandre II sofreu o ato terrorista – Igreja de São Salvador sobre o Sangue Derramado – São Petersburgo

Por fim, esclareço que esta igreja jamais foi consagrada, então, nunca funcionou como templo, mas apenas como museu. Pelo que a guia nos relatou, a Igreja Ortodoxa tem planos para a consagração da igreja, se vai acontecer, não sabemos.

Eu pretendia falar aqui também da Catedral de Nossa Senhora de Kazan e da Catedral de Smolny, mas, para variar, a postagem ficou enorme, então, deixo para outra ocasião.

Anúncios

Sobre andrerj75

Eu me chamo André. Sou morador do Rio de Janeiro. Desde pequeno, fui acostumado a viajar com os meus pais para países diferentes e a apreciar as mais diversas expressões artísticas e culturais, o que mantive de bom grado já adulto. Também, desde pequeno, ganhei um fascínio pelo estudo de História, que se acirrou à medida que os anos foram passando. Nesse contexto, sou frequentemente abordado por amigos e por conhecidos - às vezes até por pessoas estranhas - pedindo dicas de viagens e solicitando que eu tente organizar pequenos roteiros para ajudá-los em suas férias. Resolvi unir o útil ao agradável e dei início a este blog. Escreverei sobre as minhas viagens na tentativa de passar as minhas impressões sobre os lugares que conheci. Na medida do possível, darei dicas de hotéis, de restaurantes e de lugares para passear. Não tenho qualquer compromisso com a cronologia, escreverei sobre o que der vontade. Agradeço a participação de todos!
Esse post foi publicado em Catedral, Entretenimento, Museus, Rússia, São Petersburgo e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para São Petersburgo – Suas famosas “Catedrais” – Parte II

  1. Pingback: Moscou – Galeria Tretyakov | Viagenzinha, hein!

Você gostou? Quer acrescentar alguma informação? Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s