São Petersburgo – Flanando pelos canais e ruas da cidade

Espero não me alongar nesse post, até porque não tenho tanta informação armazenada sobre o planejamento da cidade. Para postar o que eu encontrar na Wikipedia ou na Wikitravel, acho melhor deixar por conta de vocês…

Antes de mais nada, acho interessante compartilhar esse vídeo que encontrei no You Tube, que mostra as cidades de Leningrado e de Moscou, em 1967, no auge da Guerra Fria. Os primeiros 5 minutos retratam Leningrado, dá para ver que alguns monumentos, cujas fotos eu postei aqui, estavam em reforma, como a Catedral Nossa Senhora de Kazan e o Palácio de Inverno. O vídeo também mostra a Catedral de Smolny, seguida pelo prédio onde funcionou a DUMA e posteriormente o Conselho dos Sovietes, além do Nevsky Prospekt.  Em Moscou, o filme se concentra no início nos arranha-céus do Stalin (Hotel Ucrânia e Universidade de Lomonosov), mas também mostra a Praça Vermelha, o Kremlin e termina com o Mausoléu do Lênin. Tudo isso embalado por uma trilha sonora especial, com trechos de músicas de Leonard Bernstein, Chopin, Corelli, Mendelssohn… Queria muito ter conhecido o país antes da queda da URSS!

Eu comentei no post anterior do fascínio que o mar e a Marinha exerciam sobre Pedro I, o Grande. Este interesse era tanto que um dos primeiros prédios a serem construídos na nova capital imperial foi o edifício do Almirantado.

Almirantado, São Petersburgo

Almirantado, São Petersburgo

Almirantado, São Petersburgo

Almirantado, São Petersburgo

Esse fato também levou o poderoso czar a estabelecer uma rede aquaviária dentro da cidade.  Acredito que o seu intuito era o de permitir a locomoção por barco dentro da cidade, tornando o uso de cavalos e de carruagens suplementar. Não sei se este projeto chegou a realmente funcionar no século XVIII. No século XXI, certamente não.

Por conta desta característica, foram aproveitados (acredito que em parte alterados também) os cursos dos rios Neva, Fontanka e Moika, além de ter sido criado um sem número de canais que atravessam o Centro Histórico da cidade, sendo que o mais famoso é o Gribodoyeva. Assim a cidade acabou sendo composta por um enorme número de ilhas, interligadas por pontes.

Nesse ponto, é importante esclarecer que, de noite, as pontes do Neva ficam todas levantadas, permitindo a passagem de embarcações maiores. Isto significa que, se você estiver do outro lado do rio, vai ter que aguardar o amanhecer para retornar ao seu hotel, ou pagar uma cara corrida de taxi para a única ponte que não é levadiça. O site da Wikitravel tem um cronograma do funcionamento das pontes, mas convém checar eventuais alterações.

Bank Most (Ponte dos bancos) - Canal Gribodoyeva

Bank Most (Ponte dos bancos) – Canal Gribodoyeva

Bank Most (Ponte dos bancos) - detalhe - Canal Gribodoyeva

Bank Most (Ponte dos bancos) – detalhe – Canal Gribodoyeva

Bank Most (Ponte dos bancos) - Canal Gribodoyeva

Bank Most (Ponte dos bancos) – Canal Gribodoyeva

A Bank Most está localizada próxima à Catedral de Nossa Senhora de Kazan. Era um dos pontos que eu precisava ver em São Petersburgo, só que, apesar de bonita, ela não correspondeu às minhas expectativas. Precisa de restauração urgente. Está situada em uma região em que todos os prédios necessitam de pintura, fora que ela, em si, está mal conservada. Uma das luminárias dos leões alados foi quebrada e ainda não reposta… sei lá, não curti muito, não.

Rio Moika - Esquina com Nevsky Prospekt - Preparação para o desfile em homenagem ao fim da II Guerra Mundial (9 de maio)

Rio Moika – Esquina com Nevsky Prospekt – Preparação para o desfile em homenagem ao fim da II Guerra Mundial (9 de maio)

Rio Moika - Esquina com Nevsky Prospekt - Preparação para o desfile em homenagem ao fim da II Guerra Mundial (9 de maio) - detalhe

Rio Moika – Esquina com Nevsky Prospekt – Preparação para o desfile em homenagem ao fim da II Guerra Mundial (9 de maio) – detalhe

Rio Moika com ulitsa Gorokhovaya - Magasin "Au Pont Rouge" (fechado)

Rio Moika com ulitsa Gorokhovaya – Magasin “Au Pont Rouge” (fechado)

Ponte Vermelha - rio Moika - São Petersburgo

Ponte Vermelha – rio Moika – São Petersburgo

Todos esses locais ficam nas proximidades do Nevsky Prospekt, a principal rua de São Petersburgo.

As pessoas que me conhecem, sabem do meu total desapontamento a respeito desses famosos e grandes boulevards, que cruzam as cidades do mundo. Explico: quando era criança, eu tinha verdadeiro fascínio pela Avenue des Champs Elysées, em Paris. Eu a achava linda, sofisticada, tinha ótimos cinemas. Passei mil anos (os que me conhecem sabem que eu tenho mais de mil anos) sem retornar a Paris e, quando fui, em 2009, achei o lugar totalmente mudado, uma bagunça visual, cheio de imigrantes tentando dar golpes em turistas, principalmente nas proximidades da Place de l’Étoile. Continuava bonita, mas os efeitos da globalização realmente tinham marcado para pior o famoso boulevard; é um pouco triste você ver a centenária loja da Guerlain disputando espaço com neons da Disney Store ou de outras lojas vendendo bugingangas. Hoje em dia, se preciso ir para aquelas bandas, prefiro um bom passeio pela Avenue de Friedland, pela Avenue Hoche ou até mesmo pela Avenue de Wagram. A mesma decepção ocorreu quando retornei à Oxford Street, em Londres, após anos de ausência dos meus pés em suas calçadas (essa rua ainda me pareceu pior, pois é mais estreita, inclusive nas calçadas, e é frequentada por um formigueiro de gente entrando e saindo daquelas lojas de departamento – PAVOR!), passeie pela Piccadilly, pela Regent Street ou pela Sloane Street, se quer ver comércio e aproveite para comprar uma coisa boa, ao invés de 50 porcarias, que a maioria adquire em lojas de departamento mais acessíveis. Igual vontade de vomitar também me foi gerada, quando conheci o Kufürstendamm, em Berlim (AMO Berlim, mas a rua me lembrou uma versão alemã da Rua Voluntários da Pátria ou da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, nada contra essas ruas, mas não são lugares necessariamente bonitos ou especialmente interessantes para alguém que não é local).

Ao contrário de seus pares do oeste, o Nevsky Prospekt, apesar de ser uma rua de comércio e de ser frequentada por muita gente, ela ainda guarda o seu charme. Não sei se a política urbanística de São Petersburgo não permite a poluição visual (se bem que fios de bonde e de eletricidade têm o dom da ubiquidade na região), ou se o fato da Rússia não pertencer à Comunidade Europeia, nem ser próxima dos EUA, fez com que esse tipo de mazela capitalista ainda não a tenha plenamente atingido. Existem sim lojas de marcas, também se encontra na região a principal loja de departamentos chique (e vazia) da cidade, a Passage, e tem também o seu lado rua Uruguaiana, nas imediações do mercado Gostiny Dvor , ressalvadas as devidas proporções (por sinal, as lojas laterais desse mercado são mais baratas do que as que se situam na sua frente). Mas a via é linda, bem conservada, frequentada por todo tipo de gente, mas ainda continua sendo uma rua indicativa do país, sem ter se tornado um lugar sem personalidade como as outras avenidas que citei. Infelizmente, não tiramos muitas fotos, porque é complicado parar numa via movimentada e ficar enquadrando uma máquina para fotografar, atrapalhando passantes…

Edifício Singer - Nevsky Prospekt - esquina com o canal Griboyedova

Edifício Singer – Nevsky Prospekt – esquina com o canal Gribodoyeva

Catedral Nossa Senhora de Kazan - São Petersburgo

Catedral Nossa Senhora de Kazan – Nevsky Prospekt – São Petersburgo

Eliseyev Emporium -  Nevsky Prospekt esquina com Malaya Sadovaya ulitsa

Eliseyev Emporium – Nevsky Prospekt esquina com Malaya Sadovaya ulitsa

Estátua da Imperatriz Catarina II, a Grande - Praça Ostrovskogo - Teatro Aleksandrovsky ao fundo - Nevsky Prospekt

Estátua da Imperatriz Catarina II, a Grande – Praça Ostrovskogo – Teatro Aleksandrovsky ao fundo – Nevsky Prospekt

No Edifício Singer, funciona a Dom Knigi (Дом книги), que, em russo, significa Casa dos Livros (casa é dom e kniga é livro, no idioma de Púchkin). É a principal livraria da cidade, que tem filial também em Moscou, arrependi-me de não ter procurado um dicionário português-russo. Piège à touristes numéro un da viagem: Café Singer. Paramos para tomar um cafezinho e comer uma besteirinha porque estávamos verdes de fome e aproveitamos para conhecer a versão petersburguense do Café de Flore, já que era um reduto de intelectuais nos tempos áureos. Bom, a comida é boa, ok, nada demais, cara, mas não extorsiva, serviço muito lento e o lugar tem um sistema de aquecimento horroroso! Por mais que estivesse frio na rua (por volta de 7ºC a 10ºC), dentro do restaurante devia estar uns 26ºC, sendo que, com a roupa de frio e o sol que bate nas janelas de vidro, virava uma sauna, dava vontade de tirar a roupa e ficar pelado tomando um chazinho. 

O Empório Eliseyev fica dentro de um belíssimo edifício art nouveau. É uma espécie de Fauchon russo. Vende de tudo e de boa qualidade: chás, caviar, chocolates, azeites…, acabamos fazendo compras só na sucursal moscovita. O problema da loja de São Petersburgo era o calor de seu interior e um cheiro de pum que exalava lá de dentro (não quis investigar a origem) semelhante ao que a estação de metrô Champs Elysées-Clemenceau cheirava nos anos 80, durante o inverno parisiense. Por sinal, esses problemas de chauffage lembram o de ar condicionado no Rio, nos dias de inverno que são acometidos pelos veranicos e fazem um calor horroroso, quando chega a noite, os estabelecimentos não diminuem a potência do ar-condicionado e fica desagradavelmente frio, o inverso ocorre na Rússia.

Ainda, nas imediações do Nevsky Prospekt, encontram-se as ruas de comércio sofisticado, como a Bolshaya Konnyushenaya ulitsa e a Malaya Konnyushennaya ulitsa. Na primeira, está situada a chique e também vazia loja de departamentos DLT e foi também nessa rua que presenciamos um dos abusos praticados pelos chamados “novos russos”: um carinha resolveu parar o carro no meio da rua – uma Mercedez Benz tinindo de nova -, trancou as portas e entrou na DLT para fazer sei lá o quê, pouco se importando com o trânsito!

Malaya Konnyushennaya ulitsa - São Petersburgo

Malaya Konnyushennaya ulitsa – São Petersburgo

E o post ficou gigante, comme d’habitude… Mau sapão!

Anúncios

Sobre andrerj75

Eu me chamo André. Sou morador do Rio de Janeiro. Desde pequeno, fui acostumado a viajar com os meus pais para países diferentes e a apreciar as mais diversas expressões artísticas e culturais, o que mantive de bom grado já adulto. Também, desde pequeno, ganhei um fascínio pelo estudo de História, que se acirrou à medida que os anos foram passando. Nesse contexto, sou frequentemente abordado por amigos e por conhecidos - às vezes até por pessoas estranhas - pedindo dicas de viagens e solicitando que eu tente organizar pequenos roteiros para ajudá-los em suas férias. Resolvi unir o útil ao agradável e dei início a este blog. Escreverei sobre as minhas viagens na tentativa de passar as minhas impressões sobre os lugares que conheci. Na medida do possível, darei dicas de hotéis, de restaurantes e de lugares para passear. Não tenho qualquer compromisso com a cronologia, escreverei sobre o que der vontade. Agradeço a participação de todos!
Esse post foi publicado em Ar livre, Entretenimento, Rússia, São Petersburgo e marcado , . Guardar link permanente.

Você gostou? Quer acrescentar alguma informação? Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s