Moscou – Мы гуляем в Москве / Nós passeamos em Moscou

Como já mencionei em posts anteriores, a viagem ficou mal planejada no tempo para conhecermos minimamente a capital russa.

Nos planos de viagem, estava previsto 4 noites na cidade, o que, em tese, significaria pelo menos 4 dias. Mas, na prática, não foi bem assim… Eu me confundi (mea culpa, mesmo), já que o último dia efetivamente não existiu, pois embarcávamos de volta para São Paulo (via Amsterdam) às cinco horas da manhã. Resultado, tivemos apenas 3 dias para passear, o que é insuficiente… Na verdade, o real título do post deveria ser “Nós galopamos por Moscou”, mas como eu não sei escrever isso em russo, contentei-me com o “nós passeamos em Moscou” (my gúliaiem v Maskvie).

Deve-se ter em mente ao planejar uma viagem a Moscou que a cidade é: (a) enorme, (b) muito arborizada (toda hora você avista um parque ou uma praça florida), (c) entrecortada por vias monumentais (seria mais ou menos, como se você tivesse várias avenidas 9 de Julio (Buenos Aires), Libertador General Bernardo O’Higgins (Santiago do Chile), Boulevard du Périphérique (Paris), 23 de Maio (São Paulo), das Américas (Rio de Janeiro), Calle de Alcalá (Madrid) se entrecortando no centro da cidade), (d) tem um trânsito infame, (e) mas é incrível e imperdível!

Por conta dessa situação, alguns lugares nós realmente só vimos de dentro do carro, como, por exemplo, o Parque da Vitória, em que se encontra o Museu da Grande Guerra Patriótica, situado nas imediações da estação Park Pobedy (de metrô). O lugar parece ser bem agradável para um passeio, com seus jardins repletos de tulipas (por sinal, algo imperdível a ser feito em Moscou é passear pelos parques), fora que o tema do museu, em si, é bastante do meu agrado, mas fomos de certa forma desencorajados pela guia a retornar outro dia, quando ela nos relatou que as informações e explicações sobre o museu estavam apenas disponíveis em russo:

Parque da Vitória - Moscou

Parque da Vitória – Moscou

Parque da Vitória - Moscou

Parque da Vitória – Moscou

Parque da Vitória - Moscou

Parque da Vitória – Moscou

Nesse mesmo dia, fomos visitar um outro ponto turístico que, a meu ver, junto com a Praça Vermelha e a Galeria Tretyakov são os pontos nodais de qualquer visita a Moscou: a Universidade Lemonosova (Universidade Estatal de Moscou). O prédio principal que a abriga é um dos arranha-céus góticos stalinistas, que foram construídos a mando do Taváritch Stalin, a partir da década de 1940, as chamadas “Sete Irmãs” (se você perguntar a qualquer moscovita o que são as Sete Irmãs, eles farão cara de ponto de interrogação; na Rússia, os edifícios são conhecidos como “Os Arranha-céus do Stalin”), para, de certa forma, fazer concorrência com os imensos prédios construídos nos EUA, notadamente em Nova Iorque.

Em frente ao prédio, fica chamada de Praça da Universidade (que nome imaginativo!), que se estende desde o belvedere (com a melhor vista para a cidade de Moscou) até a entrada principal da universidade. Ela é ladeada por bustos de personalidades russas ligadas à cultura e à educação, a começar pelo próprio Mikhail Lemonosov, que, junto com Púchkin, é considerado o pai da língua russa moderna.

Universidade Estadual de Moscou (Universidade Lemonosova)

Universidade Estadual de Moscou (Universidade Lemonosova)

Universidade Estadual de Moscou (Universidade Lemonosova)

Universidade Estadual de Moscou (Universidade Lemonosova)

Da plataforma de observação, é possível avistar toda a cidade de Moscou desde a nova city (porque o nome do centro financeiro das cidades sempre é copiado de Londres?) até as demais “cinco irmãs” (a sétima nunca foi construída) e dá para se ter uma noção clara de como a cidade é entremeada por áreas verdes. A própria região em que se situa a Universidade parece um grande parque.

City de Moscou - Plataforma de observação da Praça da Universidade

City de Moscou – Plataforma de observação da Praça da Universidade

Vista para Moscou (ao centro dá para ver uma das "Sete Irmãs", o Hotel Pekim) - Plataforma de observação da Praça da Universidade

Vista para Moscou (ao centro dá para ver uma das “Sete Irmãs”, o Prédio do Ministério das Relações Exteriores) – Plataforma de observação da Praça da Universidade

Vista para Moscou - Plataforma de observação da Praça da Universidade

Vista para Moscou (Estádio Lujniki, à direita) – Plataforma de observação da Praça da Universidade

Apenas uma última observação, com a crise econômica enfatizada pelos embargos impostos pela comunidade internacional, a city moscovita provavelmente ainda permanecerá em construção por muitos e muitos anos… Infelizmente.

Moscou

Moscou

Ministério das Relações Exteriores - uma das "irmãs" - Moscou

Ministério das Relações Exteriores – uma das “irmãs” – Moscou

Ministério das Relações Exteriores - uma das "irmãs" - Moscou

Ministério das Relações Exteriores – uma das “irmãs” – Moscou

Ministério das Relações Exteriores (detalhe) - uma das "irmãs" - Moscou

Ministério das Relações Exteriores (detalhe) – uma das “irmãs” – Moscou

Ulitsa Nóvy Arbat - Moscou

Ulitsa Nóvy Arbat – Moscou

Ulitsa Nóvy Arbat - Moscou

Ulitsa Nóvy Arbat – Moscou

Igreja Prepodobnogo Simeona Stolpnika, na ulitsa Povarskaya (do lado da Nóvy Arbat)

Igreja Prepodobnogo Simeona Stolpnika, na ulitsa Povarskaya (do lado da Nóvy Arbat)

Pri Khrame Vozneseniya Gospodnya - ulitsa Bolshaya Nikitskaya - Moscou

Pri Khrame Vozneseniya Gospodnya – ulitsa Bolshaya Nikitskaya – Moscou

O interessante da cidade é que você pode apreciar tanto prédios medievais (vide a primeira igreja acima), como do século XIX (a segunda igreja acima), além da evolução dos prédios soviéticos (acima, percebe-se claramente a mudança de conceito do prédio stalinista até aqueles construídos na era de Krushchov e de Brejnev – os dois últimos de fachada “sem graça”-, que eram meramente utilitários, sem necessidade de embelezamento exterior), até as torres de vidro modernas da city.

Na verdade, em termos de arquitetura, Moscou deveria ser um desbunde no início do século XX. Porém com a ascensão dos comunistas ao poder, foram implementadas uma série de reformas na cidade, com o intuito de adaptá-la ao crescimento como capital de uma potência comunista e, com isso, vários prédios antigos foram demolidos para dar lugar a estruturas mais modernas…

Muitos desses prédios acabaram sendo reconstruídos pós colapso soviético… Mas isso fica para outro post.

Se lamentavelmente foram perdidas algumas estruturas, este mélange entre o antigo e o moderno é que dá a Moscou uma personalidade e uma beleza únicas (ela não é uma cidade europeia, propriamente dita, ela não é parecida com nenhum outro lugar que conheci no ocidente europeu). Não há dúvida de que São Petersburgo é mais bonita, por outro lado, é uma cidade ao estilo europeu, que, ou mal ou bem, você pode ver em outros lugares. Moscou não, assim como Istambul, são cidades realmente diferentes, a despeito de estarem na Europa. O que eu quero dizer é que se você viajou para a Rússia e só conheceu Piter, fica faltando conhecer uma cidade mais russa (acredito, inclusive, que outras cidades ainda menos turísticas certamente revelarão muito mais do país).

Anúncios

Sobre andrerj75

Eu me chamo André. Sou morador do Rio de Janeiro. Desde pequeno, fui acostumado a viajar com os meus pais para países diferentes e a apreciar as mais diversas expressões artísticas e culturais, o que mantive de bom grado já adulto. Também, desde pequeno, ganhei um fascínio pelo estudo de História, que se acirrou à medida que os anos foram passando. Nesse contexto, sou frequentemente abordado por amigos e por conhecidos - às vezes até por pessoas estranhas - pedindo dicas de viagens e solicitando que eu tente organizar pequenos roteiros para ajudá-los em suas férias. Resolvi unir o útil ao agradável e dei início a este blog. Escreverei sobre as minhas viagens na tentativa de passar as minhas impressões sobre os lugares que conheci. Na medida do possível, darei dicas de hotéis, de restaurantes e de lugares para passear. Não tenho qualquer compromisso com a cronologia, escreverei sobre o que der vontade. Agradeço a participação de todos!
Esse post foi publicado em Ar livre, Arranha-Céus do Stalin, Entretenimento, Moscou, Parques, Rússia, Universidade Lemonosova. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Moscou – Мы гуляем в Москве / Nós passeamos em Moscou

  1. Kenia disse:

    Agora vc tem desculpa pra voltar quando tiver em nivel mais alto da lingua russa e aproveitar todos os museus que quiser rs.
    Bjs

    Curtir

  2. Pingback: Moscou – vamos brincar de Pussy Riot? | Viagenzinha, hein!

Você gostou? Quer acrescentar alguma informação? Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s